27 de fev de 2017

As 7 coleções mais bizarras do mundo




Uma coleção é a reunião de objetos da mesma natureza, ou um conjunto de objetos escolhidos por sua beleza, raridade, valor e coisas do tipo. Todo mundo já fez alguma coleção na vida, seja de figurinhas, tampinhas, latinhas e até mesmo de bonecos. Bom, mas nem sempre as pessoas fazem coleções de coisas legais, ao menos para nós. Vocês já pensaram em fazer coleção de camisinhas usadas?
Coleções assim que nos deixam assustados e nos fazem pensar, por que diabos uma pessoa iria colecionar camisinhas usadas? Tendo isso em mente, nós resolvemos criar essa matéria com algumas pessoas que fazem as coleções mais bizarras, estranhas e incríveis desse mundo, confiram:

Aproveitando a visita, não deixe de conferir também MODINHAS QUE VOCÊ JÁ USOU E HOJE SENTE VERGONHA.

1 – Preservativos usados

As 7 coleções mais bizarras do mundo
Depois das relações sexuais, a primeira coisa que o homem faz é jogar a camisinha fora e se limpar, mas para uma menina norueguesa, guardar os preservativos é algo prazeroso. Ela juntou milhares de preservativos usados, de amigos, amantes e até de estranhos, e sua coleção é muito, muito grande. Tonje tem 29 anos e começou a colecionar preservativos usados em 2010. Depois de juntar alguns do seu ex-namorado, ela começou a pedir para seus amigos, e hoje ela tem uma coleção com 1.921, todos alinhados na parede do seu quarto. Seu sonho é conseguir juntar 10.000 preservativos.

2 – Coleção de latinhas de cerveja

As 7 coleções mais bizarras do mundo
Não é tão estranho colecionar latinhas de cerveja, mas essa coleção em específico é incrível. Um colecionador em específico, que mora em Zionsville, tem uma caverna separada apenas para abrigar suas latinhas de todo mundo. Ele tem latas raras, como da Krueger, algumas do primeiro lote a serem vendidas em 1935, logo após a proibição nos EUA.

3 – Um homem que coleciona canções de Natal, desde 1952

As 7 coleções mais bizarras do mundo
As músicas de Natal pode ser um verdadeiro saco para algumas pessoas, mas para Gordon Lewis não, pois ele coleciona discos com cações de Natal desde 1952. Sua obsessão começou ainda em 1971, quando ele começou a procurar discos raros com canções de Natal. O motivo disso nós não sabemos, mas temos a certeza que vocês não gostariam de passar o Natal com esse cara.

4 – Maior coleção de rum

As 7 coleções mais bizarras do mundo
Durante quase 4 décadas, Steve Remsberg coletou mais de mil garrafas de rum. Na verdade, ele remodelou sua casa em torno da sua coleção. O grande “acervo” de rum na casa de Steve tem um detalhe importante, todas as garrafas da sua coleção estão completamente lacradas, mas isso não significa que ele não beba. Na verdade ele sempre compra duas garrafas, e deixa as fechadas para exibição e deixa as abertas para convidados especiais.

5 – Todos os jogos de Nintendo Wii

As 7 coleções mais bizarras do mundo
Vocês tem ideia de quantos jogos de Nintendo Wii já foram lançados? Bom, um americano, usuário do Nintendo Fórum, divulgou a sua coleção. Ele não só possui todos os 1.262 jogos, mas também todos os consoles com as 4 cores diferentes e o Wiimote com todas as doze cores. Tem cara mais fã de Nintendo Wii que esse?

6 – Coleção Nazista de 160 milhões de dólares


Já pensou em ter uma Mercedes G4 que Hitler usou em Sudetenlando em 1938? Pois é, quando Wheatcroft tinha apenas 15 anos de idade, ele gastou todo o seu dinheiro de aniversário com três Jeeps da 2º Guerra Mundial. Depois ele vendeu os Jeeps, e com o lucro, ele comprou mais quatro veículos e um tanque. Além disso, ele também coleciona objetos nazistas, que ele diz ser sua paixão. Sua coleção é chamada de Wheatcroft, que é considerada como a maior coleção de veículos militares alemães e recordações nazistas. Estima-se que a sua coleção possa valer até 160 milhões de dólares.

7 – Um brasileiro que tem uma coleção com 3 milhões de discos de vinil

As 7 coleções mais bizarras do mundo
O nome da fera é Zero Freitas, um homem brasileiro de 62 anos que passou sua vida inteira juntando uma coleção de discos de vinil. Ele passou anos comprando todos os discos que via pela frente, inclusive alguns discos raros. Zero Freitas sabe que seus discos encostados não servem para nada, e por isso resolveu criar a Emporium Musical, uma organização sem fins lucrativos que atuará como uma biblioteca de música. Ele também tem como objetivo digitalizar a maior quantidade de discos possíveis, já que 80% da música brasileira gravada no século 20 ainda não foi digitalizada.

Fonte: Fatos Desconhecidos



Um blog de Curiosidades
Uêba - Os Melhores Links